Andarilhos

“O Sertão é o Mundo”, disse, certa vez, Guimarães Rosa. O mesmo poderíamos dizer sobre o Pampa, esta espécie de sertão meridional que baralha fronteiras e entremescla muitas pátrias. É no vasto e inesgotável, rico e melancólico mundo pampiano que transitam os personagens de R. Tavares: Pedro Guarany, changador marcado por uma antiga tragédia; João Fôia, lacônico homem cuja real personalidade é um mistério; e o francês Alphonse Saint Dominguet, cujo olhar forasteiro revela a estranheza, os arcaísmos e a alma profunda destes rincões à margem do mundo.  

É no vasto e inesgotável, rico e melancólico mundo pampiano que transitam os personagens de R. Tavares: Pedro Guarany, changador marcado por uma antiga tragédia; João Fôia, lacônico homem cuja real personalidade é um mistério; e o francês Alphonse Saint Dominguet, cujo olhar forasteiro revela a estranheza, os arcaísmos e a alma profunda destes rincões à margem do mundo. 

Esses três andarilhos se reúnem em uma improvável comitiva de viagem, passando por cenários pitorescos, enfrentando ameaças e, principalmente, o passado - sempre à espreita (como um tigre nas matas) - pronto para cobrar seus tributos.

Trata-se de uma história que envolve temas universais, como o amor, a perda, amizade e (quem sabe) a redenção, e que apresenta grandes e verossímeis personagens - que criam empatia logo nos primeiros traços.

compre na AMAZON

Na taverna com frete grátis

OPINIÕES

“O livro do Rodrigo evoca um Rio Grande escondido, embrenhado no pampa, um Rio Grande de lendas, amores e segredos, de homens sem pouso e mulheres sem voz, mas cheias de coragem. É quase um ‘road movie’ literário, a história sem pouso se um homem sem paz”

Leticia Wierzchowski

“Tavares mostra uma escrita confiante, um projeto literário sólido e uma boa história a ser contada, três coisas que não se vê todo dia num livro de estreia”.

Samir Machado de Machado

“Só um autor sensível e capaz de observar a forma como a vida se move poderia escrever um livro como Andarilhos. Seus personagens, em seu específico cenário, também contam a história de cada um de nós, nessa imprevisível jornada que é a busca por um sentido”

Gustavo Ávila

“Edgar Allan Poe escreveu ‘A filosofia da composição’ e R. Tavares seguiu o mestre passo a passo”.

Mauricio Wajciekowski

“Penso que o jovem R. Tavares é mais um desses que conseguiu inserir-se nessa condição de perscrutador das minúcias e das grandezas de seu espaço”.

Eron Vaz Mattos Poeta e Escritor

“Muito jovem, o autor já encontrou o seu caminho. Não lhe esqueçam o nome. Ainda vai escrever outros livros preciosos e, certamente, encher as estantes de sua nova casa com muitos outros mais”

Alcy Cheuiche Escritor

Inscreva-se para receber o primeiro capítulo de Ainda que a terra se abra